Você tem o aspecto de quem vai para Jerusalém ?


 

Lucas 9:51-53

 

“E aconteceu que, ao se completarem os dias em que devia ele ser assunto ao céu, manifestou no semblante a intrépida resolução de ir para Jerusalém. E enviou mensageiros que o antecedessem. Indo eles, entraram numa aldeia de samaritanos para lhe preparar pousada. Mas não o receberam porque tinha o aspecto de quem ia decisivamente para Jerusalém”.

 

 

Quantas vezes já lemos estes versículos e não notamos estas palavras: “aspecto”, “de quem”, “ia para Jerusalém”, e se já notamos, será que já nos perguntamos se temos este aspecto?

 

Para meditarmos sobre isto, temos primeiramente que considerar o significado da palavra “aspecto”.

 

Aspecto= aparência, características  visíveis, formato de algo, transparência de intenção…

 

Uma vez que já entendemos o que significa ‘aspecto’, podemos entender o que aqueles samaritanos viram em Jesus e em seus discípulos naquele dia. Eles perceberam claramente em todos os movimentos e atitudes que Jesus e seus discípulos não estavam ali a passeio e nem estavam ali por admirar o lugar ou as pessoas que ali viviam. O que eles viram foi um homem diferenciado e determinado, que não se contaminava com o ambiente externo, um homem que pela sua simples presença podia discernir e conhecer quem eram cada habitante daquele lugar pelo simples olhar.  A palavra de Deus diz em I Corintios 2:15 “Mas o que é espiritual discerne bem a tudo e ele de ninguém é discernido”.Para aqueles samaritanos não era nada agradável a idéia de serem desnudados por Jesus através de um simples co-habitar nem que fosse por apenas alguns instantes.

 

Imaginem se Jesus falasse com algum deles e lhes revelasse os enganos, os erros, as injustiças que cometiam, o mundanismo em que viviam, a idolatria, os julgamentos e tudo mais que os afastava da Luz que estava ali diante deles pedindo-lhes pouso?

Compreendem agora porque nós muitas vezes não recebemos a Jesus em nossa ‘pousada’(coração) naqueles dias ou naqueles assuntos nos quais Jesus pode nos desvendar para nós mesmos o que ou quem verdadeiramente somos?

 

 

Dizer que aceitamos a Jesus, que o servimos e tudo mais, não quer dizer que deixamos ele entrar em todas as ‘pousadas’ do nosso coração. Há muitas portas que ainda não admitimos abrir, e se você que lê este artigo, pensa diferente, entende que seu coração está totalmente aberto para Cristo, o Senhor lhe ‘baterá’ em uma das muitas portas de teu coração qualquer hora dessas para lhe provar ou simplesmente para lhe revelar que ainda precisamos receber a Cristo em muitas áreas de nossa vida.

 

 

Será que nós temos o aspecto de quem vai para Jerusalém espiritual?

 

Em verdade só iremos para Jerusalém espiritual quando abrirmos todas as portas que Cristo bater. Apocalipse 3:20 diz “Eis que estou a porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrira porta entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.

 

 

Receba a Cristo diariamente e você estará mudando o seu aspecto de quem foge de Jerusalém para quem decisivamente vai para Jerusalém.

 

 

Este receber a Cristo diariamente a que me refiro é aceitar as “provas” a que  somos submetidos todos os dias, a fim de transformar nosso aspecto, não só externamente, mas também nos nossos sentimentos e pensamentos, e todas as coisas que permitem transparecer a quem verdadeiramente pertencemos.

 

 continua……

 

 

 

 

Anúncios

Chamar-te-ão reparador de brechas ( parte III )


Chamar-te-ão reparador de brechas ( parte III )

 

Quando perguntei  na parte dois destes artigo, se você tem o” Reparador de brechas” em você, quis trazer  não só a você mas a mim também o meditar de como temos agido diante das necessidades do nosso próximo. Temos tratado as questões deles como um repórter que após conhecer o caso sai divulgando o problema para todos que não tem nada que ver com o problema alheio ? ou temos agido como um Reparador de brechas?

A continuação do  verso 7 do capítulo 58 de Isaías, trata disto: ” …e recolhas em casa os pobres desterrados? E vendo o nu , o cubras , e não te escondas do teu próximo? ”  Quero dizer sem hipocrisias que todos nós em algum tempo de nossas vidas, já tratamos do nosso próximo daquela forma como diz uma certa frase:” ver o circo pegar fogo nunca foi atração de circo, mas que é um belo espetáculo isto é ” o que quero dizer é que muitas vezes ao invés de cobrimos o nosso irmão, muitas vezes o deixamos exposto para que todos vejam sua nudez. Porque ele estava nu? não foi porque em algum tempo deixou criar uma brecha para que o inimigo de sua alma entrasse e lhe provocasse todo aquele estrago que agora passa?  Por certo que sim. E eu e você porque não reparamos a brecha, cobrindo a “nudez” dele? Talvez até nem tivéssemos ainda um temor ou até mesmo realidade do que é a vontade de Deus. Mas hoje por ocasião de estar lendo este artigo,  o Senhor começa a revelar nossos erros, tratando inicialmente conosco e depois poderá nos usar para  sermos um ” reparador de brechas, e não mais seremos vistos como parte de um ” respeitável público” ( como dizem os apresentadores circo) que só está ali para assistir o circo pegar fogo.

 

Neste mesmo verso ainda a palavra diz :” e recolhas em casa os pobres desterrados?” Casa somos nós mesmos, e recolhê-los em nós significa dar do Cristo que temos em nosso coração, como alimento, proteção, e filiação, fazendo-o sentir-se parte desta grande família a que pertencemos em Cristo.

 

O verso 8 e o 9 são promessas para os que agirem conforme a orientação do Senhor, no final do verso 9 há um porém :” … Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar iniquamente.”  Este jugo  nada mais é do que os preconceitos que aprendemos com nossos pais e os que adquirimos com a sociedade na qual vivemos. Observe a frase que se segue: “… o estender do dedo e o falar iniquamente”. Só estendemos o dedo quando acusamos ou advertimos alguém segundo os nossos conceitos de certo ou errado, e isto , bem sabemos que se trata da famosa Árvore do Conhecimento do bem e do mal, querendo mais uma vez ganhar notoriedade entre os que se chamam pelo nome do Senhor. Amado irmão em Cristo, esta palavra não é para o ímpio, mas para os que já estão em Cristo e novas criaturas são. Ainda temos um “falar iníquo”, que precisa ser conhecido e reconhecido por quem dele faz uso. Mas o que é “falar iniquamente”? Vamos analisar o que é isto.

 

Falar iniquamente é falar de uma forma que não se reconhece o direito do próximo. O caráter de quem é iníquo compreende essa particularidade, a pessoa que tem este caráter age, pensa, e fala não reconhecendo o direito daquele a quem se refere, isto é a iniqüidade.

 

No verso 10 continua a condição para que as bênçãos do Senhor fluam sobre o seu servo: “ e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita…” Abrir a tua alma ao aflito é o falar de Cristo de forma aberta e abundante, desta forma também sacia o aflito e as bênçãos do Senhor seguem fluindo sobre o reparador de brechas. Agora leia o restante do verso 10 até terminar o verso 12. Estas são as bênçãos e o reconhecimento do Senhor aos seus servos.

 

Seja a partir de hoje não só um reparador de brechas, mas também um restaurador de veredas com moradias.

 

 

Chamar-te-ão reparador de brechas ( parte II )


Pio= aquele que tem um viver santo.

 

Partindo deste conceito, podemos até mesmo entender a título de curiosidade, o porquê de alguns papas terem escolhido para sí mesmos o nome de “Pio”, o que eles queriam dizer é que eram o Papa de “viver santo” I, II, III e etc…

 

Voltando ao que nos interessa: aquele que vive na impiedade, logo, não tem um viver santo, e se é assim, vive em pecado. Quando a palavra nos diz ” que soltes a ligadura da impiedade”, está a nos dizer que: soltemo-nos das coisas que nos prendem ao pecado. Todos nós sabemos que pecamos, e mais ainda, sabemos onde e no que pecamos, a palavra  nos diz no verso 6 de Isaias 58, que ” desfaças as ataduras do jugo, e que deixes livres os quebrantados, e despedaces todo jugo.” A partir deste trecho começamos a perceber o caráter do ‘ Reparador de brechas ‘, ele não só concerta o seu próprio viver, como também começa a suprir, prover, restaurar os caminhos àqueles que caíram ou estão prestes a cair.

 

Os atributos do reparador de brechas seguem no verso 7 “Não é tambem que repartas o teu pão com o faminto…” repartir o pão com o faminto é somente matarmos a fome do nosso próximo ? Será que era só isso que Deus estava se referindo neste verso ? e se não era isso, era o que mais então ?

 

Repartir o pão é dividir com o próximo, o alimento que ele não tem tido, ou seja, a instrução da palavra de Deus, isto alimenta o ” faminto “, dá descanço a alma, pois o que mais angustia as pessoas hoje , é o fato de não terem uma visão, uma esperança, uma certeza de que há alguém trabalhando em favor delas. O que sabem apenas, e disso têm certeza, é que as ” brechas ” estão abertas.

 

Estamos falando de Reparador de brechas, mas que brechas são essas?  Brechas são aquelas fendas, pequenos espaços, por onde entram ou saem aos poucos, mas de forma contínua, coisas que não deveriam sair ou não deveriam entrar, na verdade estas ” brechas ” são as falhas que temos em nosso viver. É em nós que elas estão, como diz a palavra nós somos o vaso ( II Cor 4:7 ), e quando estamos com nosso coração ferido ou angustiado, podemos percebe que por estas feridas ou angústias (brechas) entram sentimentos que em nada somam para nossa cura, e saem de nós aquilo que tínhamos de bom. Como podemos constatar ” brechas ” não são positivas, mas pelo contrário, são totalmente negativas, pois por elas perdemos a Vida que é Cristo, pois acabamos esquecendo  o que Dele aprendemos, e por estas brechas também o inimigo de nossas almas encontra oportunidade para penetrar e provocar toda espécie de destruição que se possa imaginar.

 

E onde estará alguém que tem em sí o Reparador de brechas para apresentar a este necessitado de ” reparo”. Ser um “reparador de brechas” compreende ter o Reparador de Brechas ( Cristo ) em sí mesmo. Pois não há outro Reparador senão o próprio Cristo. Ele está em você ?

 

( continua)