Segue-me (a vocação de Levi e Filipe)


segue me

João 1:43 ” No dia seguinte Jesus resolveu ir para a Galileia. Encontrando a Filipe, disse-lhe: Segue-me.”

Marcos 2:14 ” E, passando, viu a Levi, filho de Alfeu, assentado na coletoria, e disse-lhe: Segue-me. Ele levantando-se, o seguiu.”

Quando medito nestas passagens fico imaginando… Jesus, tão somente disse a estes discípulos “segue-me”. Foi apenas isto, um “segue-me”, e o seguiram.

Paulo a seu modo também diz algo semelhante em 1ª Corintios 11:1 “Sede meus imitadores como também sou de Cristo.”

Mas o maravilhoso, é pensar: “como foi possível largarem suas vidas e segui-lo?” São tremendos estes encontros e diálogos. Será que hoje nós largaríamos nossas vidas, nossos a fazeres, e iríamos após Ele?

É preciso analisarmos os fatos envolvidos nestas passagens. Primeiro: quem convidava, era o próprio Cristo, e em suas palavras há poder para convencer, para mover, para fazer o impossível acontecer. Segundo: o que aqueles homens ouviram, não um “segue-me” qualquer, era um “segue-me” vindo da própria boca de Deus, E terceiro: eles creram, não duvidaram, eles simplesmente, atenderam o chamado.

E é neste ponto que reside a maravilha destas passagens. Jesus os escolheu, e eles aceitaram.

Jesus também nos escolheu, mas será que nós aceitamos?

Será que o seguimos?

O que é seguir a Jesus?

Alguém irá com certeza afirmar com a boca “cheia”, que segue a Jesus. Mas, se analisar, com sinceridade, verá que o segue de longe. Lucas 22:54 ” Então, prendendo-o, levaram, e o introduziram na casa do sumo sacerdote, Pedro seguia-o de longe.” Pedro, que era Pedro, não tinha realidade de Cristo, ele não vivia Cristo com intimidade, com realidade, com verdade, ele o seguia de longe, como sempre o fez. E na verdade a grande maioria de nós, o segue desta forma, digo isto, porque vejo o quanto limitamos o nosso seguir a Cristo, diante de alguns valores. Pedro dormiu enquanto Jesus orava, Pedro arrancou a orelha do soldado, Pedro negou a Jesus. E e não estou criticando a Pedro, só estou mostrando que somos muito parecidos com Pedro, quando nos deparamos com situações que exigem de nós a postura de seguidores de Jesus.

Quando achamos situações que nos fazem parar e olhar para o caminho que temos de passar, muitos de nós agimos como o jovem rico, Mateus 19: 21 e 22 ” ²¹ Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu. Então vem,  e segue-me.  ²² O jovem ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.”

Não oramos o tanto que deveríamos orar,  se consultamos a Cristo sobre o que fazer a cerca desta ou aquela questão de nossa vida, nos desesperamos pela demora em receber a resposta do Senhor, e então, tomamos a direção que achamos mais lógica ou conveniente, e depois, ainda nos perguntamos: ” o que fizemos de errado? “

Será que eu estou inventando comportamentos humanos? ou existe isto que estou a dizer? Será que não somos nós mesmos a nos olhar num espelho?

Seguir a Cristo, não é seguir “mais ou menos”, ” eu sigo um pouco, um pouco não sigo” .

Eu lembro de uma experiência de criança, que tenho certeza de que todos nós já passamos em nossas vidas. Quando era criança, ia junto com meus pais ao super mercado para fazer as compras do mês, e como toda a criança, eu ficava fascinado com os brinquedos  nas prateleiras em seus corredores. E meus pais com pressa para irem embora, diziam: “vamos Júnior, ou você vai se perder.” Na verdade eu os seguia um pouco,  e um pouco olhava para os brinquedos nas prateleiras, o resultado não podia ser outro, eu me perdia deles, e aí me colocava a gritar e chorar desesperado por não vê-los mais.

Assim fazemos nós muitas vezes, olhamos a Cristo e o seguimos por um pouco, dali outro pouco, olhamos para os nossos interesses e o perdemos de vista, e então nos desesperamos.

Seguir a Cristo é segui-lo sempre, com os olhos fitos nele. Semelhante ao profeta Eliseu, nos dias em que o seu Senhor, o profeta Elias, estava para subir ao céu ( II Reis 2: 1 a 11), se ele o perde-se de vista por um momento que fosse, não receberia a bênção que esperava.

Minha vó, que nem cheguei a conhecer, dizia: “Com Deus a coisa é fina”,  seguir a Cristo não é uma formalidade, ou falar vazio. Precisa ser algo real, verdadeiro.

O que você entende por seguir a Cristo?  Escreva-nos você também, e vamos compartilhar juntos deste tema tão vasto e rico. Que Deus os abençoe  ricamente hoje e sempre. Amém

Anúncios